Uma outra história de uma mãe também com 4 filhos !

Voltando ao assunto de ser mãe de quatro filhos rs...

Me deparei com um texto incrível da Marcia Scherer  falando sobre como é ser mãe de 4 filhos com faixas etárias parecidas (sou mãe com 4 filhos de faixas etárias diferentes... isso faz muita diferença. Pense... rs).

Ela escreveu um manual de sobrevivência descrevendo a rotina dela, e minha dúvida quando a distância de idade entre meus filhos, me pareceu muito boa hahhaha!

Me vi em várias partes desse texto e confesso que já teria surtado! Vou reproduzir o manual com  devida autorização da Marcia e se alguém se identificar, por favor me diga nos comentários...

Manual de sobrevivência a quatro filhos

Demorou, mas tomei coragem e escrevi.

Eu sobrevivo todo dia a quatro filhos (e um marido). Os meus têm idades e fases diferentes, então conflitos, choros e muita bagunça fazem parte do nosso cotidiano. Achei que com minha experiência eu poderia dar algumas dicas às corajosas e aos corajosos que também acham que quanto mais filhos, melhor. Existe alguém assim??

Lá vai:

  1.  não adianta correr, porque depois que eles aprendem a andar, eles correm atrás de você, então, a dica número um é: ENCARE, VOCÊ TEM QUATRO FILHOS, OU TRÊS, OU DOIS, OU UM SÓ.
  2.  pedir a Deus para te dar quatro braços não adianta (já tentei e Ele nunca me atendeu). O jeito é domesticar o direito e o esquerdo a fazerem coisas diferentes ao mesmo tempo. Aquela brincadeira de bater uma mão na cabeça, enquanto esfrega a outra na barriga funciona bem.
  3.  quando todos começarem a falar ou chorar ao mesmo tempo não adianta tentar gritar mais alto. O mais sensato e seguro é tentar abstrair até eles se acalmarem. Eu faço lista de supermercado, ajuda muito.
  4.  quando achar que nunca viu sala mais bagunçada na vida, prepare-se porque o pior está por vir: dê uma olhada nos quartos.
  5.  choro de filho comove mãe, mas o contrário não é verdade. Chorar não funciona e pode ser ainda pior, então não caia na tentação de chorar e se fazer de vítima, o máximo que você vai conseguir é arrancar gargalhadas dos seus filhos.
  6.  não se sinta culpada ou culpado, se em algum momento, você se trancar sozinha ou sozinho no banheiro. Às vezes dá vontade de fugir mesmo, e se trancar no banheiro é até bom. Só não fique lá por muito tempo, porque a situação pode piorar.
  7.  não interfira nas disputas. Você nunca será um bom juiz, afinal as partes têm uma relação íntima com você e alguém sempre vai se sentir injustiçado. E pode acreditar, eles acabam resolvendo sozinhos. Exceção para vias de fato, aí todo mundo de castigo, pensando no assunto.
  8.  perder um pouquinho de sangue não mata ninguém. É normal, cair, ralar, torcer, mancar. Não precisa fazer escândalo, nem chamar a ambulância, o melhor a fazer é sempre ter uma caixa de primeiros socorros à mão e ter noção de como fazer um curativo.
  9.  aprenda a criar linhas de montagem. É bom pra tudo, pra guardar a roupa passada, pra arrumar lancheiras, pra fazer sanduiches.
  10.  com o passar do tempo, as crianças e adolescente vão se multiplicando. Quando começa a fase dos coleguinhas, amigos e namoradas, os finais de semana na sua casa serão sempre lotados de gente. Já cheguei a ter mais de 10 numa tarde de sábado e era uma simples roda de tereré.
  11.  compre uma cama maior. Não tem jeito, os filhos sempre acabam vindo pra cama da gente. Seja por causa de um filme de terror, seja por causa do frio. Nessas noites, meu quarto fica parecendo um acampamento, de tantas crianças espalhadas em colchões pelo chão e no meu próprio colchão.
  12.  essa dica me foi passada por uma amiga: filho tem ouvido no bumbum, porque só ouvem depois de um tapinha. Não, não sou a favor de bater em criança, aliás, sou totalmente contra. Mas muitas vezes eles não escutam, a não ser que a gente dê uma “cutucada”. Fazer-se ouvir é difícil.
  13.  essa é especifica para filhos adolescentes: não há comida no mundo que chegue, nem dinheiro.
  14.  essa é para filhos pequenos: sim, papai Noel existe, coelhinho da páscoa também e tem um monstro embaixo da cama. Não tire a ilusão do seu filho, as recordações que ficam com elas superam qualquer realidade do nosso mundo.
  15.  e essa é para os bebês: sim, trocar fraldas não é tão fácil, como todo mundo diz. Uma dica, dê um brinquedo nas mãos dele, deixe tudo perto e seja rápida, muito rápida.
    Bom, por enquanto é só. Com o tempo e conforme eu for lembrando acrescento novas dicas. Porque filho é bom demais.

 


Demais esse texto! Não é verdade?

Aposto que muitas mamães, independente do número de filhos que tem, se identificaram.

Bjs e bom dia!

4 filhos, ufa! Prepara...rs

4 filhos... ufa! Prepara... 😉